quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Os menores contos do blog - 3º parte

Êita que esse trem tá animado sô!

Fiquei muito feliz quando soube de um poeta carioca que conheceu e encantou um amigo.
Mais feliz ainda quando soube que esse amigo falou do blog pro poeta.
E ainda mais feliz quando recebi essa colaboração vinda lá daquela terra que não conheço (mas sou apaixonada) do corajoso poeta César.

E pra completar Farelo Martinez (o poeta que um dia REconheci) nos brinda com mais um inspirado conto mínimo.

Sejam todos bem vindos, sempre!

__________________________________________________


Não passo mais pela sua rua
por que deixou de ser caminho
pro teu quarto-e-sala-e-cozinha-e-travesseiro
agora gasto meu copacabanês
na varanda de um sobrado menor
mas muito mais bem ventilado-
andei precisando respirar outros ares
e você não notou
não veio comigo
então eu fui só
e alguem me encontrou-
eu colhia roliúdis como flores num jardim
quase que eu morri do pulmão
agora estou mais feliz
e fico sem ar por um motivo tão bom
que eu acho que vou morrer é do coração.

(César Soares)



Olhou para baixo Valadão e esticou a perna direita para encontrar alguma satisfação ao observar o sapato adquirido na noite anterior. Brilhava o sintético pobre suficiente para os próximos três meses de labuta.
Do outro lado da mesa, duas moças: a de óculos, balsaquiana; a morena, 19 aninhos, primeiro emprego.Valadão coçou o grisalho sobre a orelha, achou-se um velho decadente iniciando um medíocre emprego ao lado das duas, todos em treinamento.
Eis que passa uma vendedora ruiva, alta, com batom vermelho, desfilando entre os armários e jogos de cozinha da loja de departamentos. Sorri para Valadão. Ele sonha... e esquece a situação desconfortável de minutos atrás.

(Farelo Martinez)
http://sociologiaindependente.zip.net

2 comentários:

Leila Saads disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leila Saads disse...

Oops, um pequeno erro no comentário anterior, mas ta aqui de novo=]

Tá fazendo sucesso einh, Carol!
Sabe do que eu lembrei outro dia? Da sua descrição - aquela, na oficina de redação - sobre um livro do Ziraldo, se não me engano. Ficou tão delicada e tão linda, dava até pra ter a sensação que o livro dá. Por que você não posta essa descrição aqui?=]
Um feliz natal e um próspero ano novo! =**